Recanto do Alto Minho

14-03-2018

Sou da Terra mais a Norte,

Onde tudo começou,

Onde o País se fez Sorte!

Onde me fiz o que Sou!


Sou das terras de além-rio, Onde o Minho é mais formoso!

Sou da raia, sou bravio, Sou, também, de além-Trancoso!

Sou do monte, sou ribeira! Sou Cevide, sou Melgaço!

Sou Português, sou fronteira! Do Alto-Minho, o regaço!


Sou Tomás, e sou Pintor! Sou vira, sou cavaquinho!

Trago na boca o sabor, Do teu vinho, Alvarinho!

Sou pesqueira, lanço a rede, Colho a vela na viagem!

Em Ti mato a minha sede! Sou Inês Negra, e coragem!


Verdes ficam os teus olhos, Quando me dizem Adeus!

Tristes, os meus, são escolhos, Que se encantaram dos teus!

São tamanhos, os encantos, Que só nos teus olhos, vi!

Perco-me, nos teus recantos, Quando me perco de Ti!



            Letra: Moura Alves